Pedro Vigário no comando da Selecção Nacional de BTT

IMG_0170
Luís Sousa recebe troféu de Pedro Vigário na "gala" da AC Porto

Pedro Vigário é o novo seleccionador nacional de BTT tendo aceite o convite da Federação Portuguesa de Ciclismo para o reforço da aposta na vertente fora de estrada. Vigário, 37 anos, actual membro da direcção da Associação de Ciclismo do Porto,  apresenta um longo historial de presença activa no BTT, condição que, aliada ao curso de treinador  lhe permitiu enquadra-se no perfil do técnico desejado pela FPC.

A entrada de Pedro Vigário visa dotar a FPC de uma estrutura para o BTT crescemente profissionalizada sob a tutela de Delmino Pereiro e com o apoio técnico de Alexandre Almeida num momento crucial para o desenvolvimento das suas diferentes disciplinas, após os melhores resultados internacionais de sempre e nos primeiros passos da associação à Liberty Seguros, empresa patrocinadora da Selecção Nacional.

“É um novo impulso na área do BTT de competição por parte da Federação Portuguesa de Ciclismo e que surge na sequência dos excelentes resultados conseguidos nas camada jovens e que é possível com o apoio da Liberty Seguros”, avalia Delmino Pereira.

“Entre alguns dos objectivos pretendidos visamos melhorar de forma substancial o apoio e o acompanhamento dos atletas e a presença num maior número de provas internacionais”, acrescentou o responsável.

Em declarações ao Jornal Ciclismo, o novo seleccionador salienta “a ambição de um projecto com objectivos superiores dentro da modalidade”. “Há da parte da federação uma aposta muito grande num projecto mais sério e que esteja mais próximo dos atletas permitindo-lhes adquirirem uma experiência nas melhores competições”, acrescenta Pedro Vigário.

O novo seleccionador toma a pasta de Paulo Pais que fica associado à conquista de uma primeira vitória portuguesa numa Taça do Mundo de Cross-Country (XCO) por David Rodrigues e pela inédita medalha de prata de Ricardo Marinheiro no Mundial Júnior de XCO.

16 thoughts on “Pedro Vigário no comando da Selecção Nacional de BTT”

  1. Não posso deixar de dar a minha opinião, e peço que façam de conta que eu não sei nada .Pois então o Sr Pedro Vigário vai tentar a sorte dele (por convite ou não)numa altura em que estamos em Portugal com talvez a melhor fornada de atletas dos ultimos anos,mas de treino sabe o básico ,organização nem se fala (basta ver o que se passa na Associação do Porto) esperemos então que os atletas façam o que sabem para que Portugal venha a ter ao menos 1 atleta nos jogos olimpicos.Esta é a minha opinião e para todos boa sorte.

  2. Sr. Paulo Marinheiro, desculpe mas parece que nos ultimos anos tem percebido tanto de BTT nacional como eu de lagares de azeite! “… hoje sente-se que o BTT ganhou finalmente o espaço próprio e forte naquela casa.” está a insinuar que antes não houve “alguém” a lutar dentro dessa mesma casa para esse mesmo objectivo?? Ou é necessário relembrar o que se passou em 2004? Ou por outra, relembrar todo o trabalho que foi efectuado até chegar aos Jogos Olímpicos? É que me lembre, não creio ter observado o nome de “Portugal” sequer na lista de países com vagas para esse mesmo evento em 2008… E duvido muito que o mesmo conste em 2012… É que se for,  novamente necessário relembrar, isso foi alcançado por um grupo algo vasto de atletas, e não por “…dois self-made juniores, que talharam sózinhos e à força, o seu próprio destino.” sem no entanto menosprezar, como é claro, o magnífico desempenho de ambos ao longo das épocas transactas e os resultados alcançados.

  3. Nota-se que o Paulo Marinheiro é uma pessoa com disponibilidade!! Em poucas linhas, e acabando por concordar com parte do comentário anterior, é completamente saudável e útil terem escolhido alguém que conhece a vertente de btt, tal como eu, há bem mais de dez anos. Boa sorte para o Pedro (e consequentemente para a selecção) que bem a merece.

  4. Esta vertente “grande” que cada dia cresce mais, do ciclismo nacional e internacional, precisava, em termos de Selecção Nacional, de tranquilidade, ponderação e consequente reconhecimento do valôr dos seus melhores atletas sem estes terem que provar “todas” as provas que são dignos de pertencer à Selecção Nacional, sem eles terem que lutar sózinhos ou com a ajuda dos seus treinadores e dos seus aficionados para participarem em provas internacionais de topo para afinal “ganharem”. Algo que a face mais competitiva desta vertente, a Selecção Nacional, necessitava à muito, era a lealdade e apoio aos seus melhores atletas, sejam eles Juniores, Sub-23 ou Elites que sinto que não havia, a atestar pela convocatória do Europeu deste ano que não teve o nome do atleta que apenas uma semana depois desse Europeu foi Campeão Nacional com enorme vantagem e 2 meses depois Vice-Campeão do Mundo, da convocatória do Mundial deste mesmo ano que não teve na sua primeira versão sequer um Sub-23 e só o teve na 2ª versão pela imensa pressão do seu treinador e aficionados desse magnifico Sub-23 que fazia parte dessa dita “equipa” mas que nunca chegou a ter um Elite que era o Campeão Nacional, o homem mais rápido em Portugal e atleta da referida “equipa”, a Selecção Nacional de BTT há anos, que estava na melhor forma fisica e técnica de sempre da sua carreira, mas que para melhor prova foi esquecido e ficou em casa deixando no ar a efectiva falta de algo MUITO importante nesta dita “equipa”. Essa lealdade, apoio e “estar ao lado das suas tropas” é essencial para que esse apoio forte de quem lidera, se transforme na tranquilidade e confiança necessária ao bom desempenho dos seus atletas e como em tudo na vida e mais ainda no desporto de alta competição,apenas com tranquilidade um atleta pode atinjir o seu pleno e os consequentes resultados. Com a entrada o Pedro Vigário, uma pessoa com perfil perfeito para esta parte da função, talhado para ser um lider por conquista e não um lider por imposição da própria posição, essa tranqulidade, essa lealdade, serão transformados em espirito de grupo, que por sua vez se verá transformado numa verdadeira equipa, num team coeso onde todos torcem uns pelos outros, onde a vitória de um é a vitória de todos, onde a derrota de um é a derrota de todos, e isso eu digo de forma tranquila e com total conhecimento de causa, que com este novo Seleccionador Nacional, isto é o que irá seguramente acontecer, e basta para tal, ter visto ao longo dos anos a forma como as suas equipas de jovens foram, acima dos resultados desportivos, equipas coesas e bonitas de ver com ambientes fantásticos, basta falar com qualquer míudo que tenha tido o privilégio de ter feito parte das equipas do Pedro, dos quais eu conheço e sou amigo de alguns, para atestar que desta vez ,a Federação Portuguesa de Ciclismo fez a melhor escolha, a primeira escolha, não a possível ou a que está a jeito… desta vez acredito, sei, que haverá uma Equipe Nacional de Btt para além do nome “Selecção Nacional de Btt”, haverá uma equipe que fará a sua própria história, não uma equipe que “aproveita” a história dos “outros”, a história de uma inigualável e brilhante geração de dois self-made juniores, que talharam sózinhos e à força, o seu próprio destino. A maior sorte do Mundo e muitos sucessos desportivos é o que desejo ao Pedro Vigário. Parabéns à Federação Portuguesa de Ciclismo, em especial ao Sr. Delmino Pereira pela grande nomeação, que só demonstra cada vez mais, que para todos, desde atletas a organizadores ou equipas, vale a pena apostar forte no BTT… hoje sente-se que o BTT ganhou finalmente o espaço próprio e forte naquela casa.

  5. Sem sombra de dúvidas é uma belíssima escolha para abraçar este projecto.. O btt só tem a ganhar com a sua contratação. Pela minha pouca rodagem neste mundo, sempre levei muito a sério os seus conselhos e admiro a paciência e dedicação que ele tem para com a modalidade.. Desejo-te um fantástico trabalho e que tudo te corra muito bem neste teu novo cargo, grande Abraço!

  6. Agora um aparte existem comentários mesmo idiotas, não me parece que alguma vez o Valter se tenha referido alguma vez no Paulo Pais. Não sabem interpretar o que se escreve? 🙂

  7. Parabéns! Foi sem dúvida uma boa escolha, visto que já está com a modalidade há muitos anos, sempre contribuindo para um melhor BTT.

    Quanto ao Paulo Pais saíu por incompatibilidade com a sua vida profissional, isto pode ser lido no site da Federação. Fez um excelente trabalho enquanto lá esteve como todos sabem. Mais uma vez Parabéns.

  8. Parabens ao Pedro ,homem que luta pelo btt a uma duzia de anos, levou inumeros miudos a praticatica da modalidade, so esperamos é neutralidade e que não sejam postos valores ou intereses em causa, boa sorte.

  9. valter achas que o paulo era incompetentte, e isso?
    montanelas disses-te tudo.
    no comments

  10. Parabéns pela escolha.

    Caro Julio apesar de gostar de CicloCross vertente há muito esquecida em Portugal (pessoalmente sei que o Pedro Vigário apadrinha) parece-me que o Ciclocross está inserido na vertente Estrada e não no BTT. A diferença é perceptivel pelas bicicletas utilizadas.

  11. Fiquei muito satisfeito em saber que o Pedro Vigário irá trabalhar conjuntamente com a FPC, pois acredito que a Federação, o BTT e todos que gostam do ciclismo, irão ter uma pessoa competente, não digo apenas pelo seu curriculo mas pela vontade de trabalhar e de abraçar os projectos onde está. Acompanho o seu trabalho à +-12 anos e o que posso afirmar é que, acima de tudo, além de ter formado alguns campeões, formou muitos Homens! Os votos de um bom trabalho.

  12. Parabens mister, k tudo corra bem e vamos lá a ver se é agora k vamos ter uma selecção de ciclocross capaz de discutir a taça do mundo na vertente, assim como tem acontecido no XCO. Muitos parabens

Os comentários estão fechados.