Passaporte Biológico avança na Costa Rica

BCR - Pizza Hut tem dominado últimas edições da Volta a Costa Rica
BCR - Pizza Hut tem dominado últimas edições da Volta a Costa Rica

A Volta a Costa Rica, que hoje se inicia, conta com um intrumento útil no combate ao doping, a aplicação de uma versão rudimentar do “Passaporte Biológico”, obrigatório a todas as equipas nacionais que integrem o pelotão da prova.

A versão costariquenha do “passaporte” baseia-se em apenas três variáveis em análise e conta com um histórico de três meses. A cada mês, a Federação Costariquenha do passaporte pediu as amostras sanguíneas a cada atleta das cinco equipas profissionais. Caso se verifiquem valores anormais registados no acumulado das amostras, o ciclista é sujeito a um controlo anti-doping. Entre outras limitações, a medida peca por defeito ao não obrigar as equipas estrangeiras ao mesmo procedimento. Por outro lado, as análises efectuadas são da incumbência de cada equipa e não centralizadas sob a égide de uma entidade independente.

Não obstante as limitações várias do programa, o “passaporte biológico” foi acolhido com agrado por todas as equipas do pelotão da Costa Rica que solicitaram mesmo um reforço, dando fortes contributos para o sucesso da medida a médio prazo.

Fonte: Nacion | Foto: BikeCR

1 comentário a “Passaporte Biológico avança na Costa Rica”

  1. ate a costa rica ta mais evoluida e tem mais principios q ao q chamam aqi d ciclismo!

Os comentários estão fechados.