Astana consegue licença ProTour sob condição, Lampre em risco

O Conselho UCI ProTour anunciou hoje as 17 equipas que têm licença ProTour para 2010. Entre as formações está a Astana, de Alberto Contador, embora a UCI ainda aguarde a garantia bancária adicional exigida ao colectivo cazaque, devido ao histórico de salários em atrasao durante a época de 2009. A italiana Lampre-Farnese Vini ficou de fora e o seu dossiê foi remetido para a Comissão de Licenças da UCI, que deverá pronunciar-se pela retirada ou não do estatuto ProTour à equipa de Damiano Cunego. Cerca de metade dos grupos desportivos têm apenas um ano de licença ProTour.

Astana, Caisse d’Epargne, Euskaltel-Euskadi, Footon-Servetto, Française des Jeux, Liquigas-Doimo, Team Columbia-HTC, Team Milram são os blocos que precisam de renovar a licença daqui a um ano. Há quatro equipas cujo estatuto ProTour se estende até 2011, Omega Pharma-Lotto, Quick Step, Saxo Bank e Team Katusha. Ag2r La Mondiale, Garmin-Slipstream e Rabobank têm lugar no escalão principal até 2012. Os dois blocos que se estreiam em 2010, RadioShack e Team Sky têm licença ProTour até 2013.

Apesar de poderem ter licença por vários anos, todas as equipas têm de, anualmente, entregar um processo de candidatura que respeite os vários critérios de selecção. Só cumprindo todas as formalidades, a licença de que disponham é considerada válida.