Hector Guerra e Isidro Nozal prescidiram da contra-análise

Os espanhóis Hector Guerra e Isidro Nozal prescindiram do resultado da contra-análise do controlo anti-dopagem efectuado a 3 de Agosto, informou fonte da União Ciclista Internacional.
Sob a alçada disciplinar da Real Federação Espanhola de Ciclismo, ambos os ciclistas arriscam uma suspensão de dois anos, eventualmente reduzida em caso de colaboração com a justiça.

Guerra iniciou-se como profissional em 2003 com a equipa espanhola Relax-Fuenlabrada paulatinamente afirmando-se como um crónico candidato à Volta a Portugal.
Já Isidro Nozal, notabilizou-se pelo segundo lugar da Volta a Espanha 2003 na espanhola ONCE. A carreira do espanhol foi limitada após ter falhado um teste de hematócrito em 2005 na Liberty Seguros espanhola – meses antes, na mesma equipa, havia sido a vez Nuno Ribeiro – e o seu nome constar do relatório da Operação Puerto. Em 2008 assinou pela Liberty Seguros portuguesa.

4 comentários a “Hector Guerra e Isidro Nozal prescidiram da contra-análise”

  1. o que fizeram malta estava a correr tao bem logo voces tinham de fazer isto viram as pessoas que ficaram tristes pelo menos eu fiquei mas nao foi a unica pessoa a gostar da liberty mas conheco pessoas que conhecem melhor a liberty do que eu.alias foi graças a liberty que eu comecei a gostar de ciclismo.so para dizer que gosto muito da liberty e um beijinho muito grande para toda a equipa.beijos ana rita vieira

  2. Eles não sabiam nada coitados, mas perguntem ao Américo Silva que ele sabe, coitado do Nuno confiava tanto no Américo que se tramou.

Os comentários estão fechados.