Nuno Ribeiro diz que não sabia o que tomava e responsabiliza o médico

“Tomei aquilo que o responsável médico [Alberto Beltrán] da equipa me indicou. Não sabia o que era”. Foi assim que Nuno Ribeiro reagiu, em entrevista ao jornal O Jogo, ao resultado da contra-análise, que confirmou que o corredor tomou CERA – EPO de efeito prolongado -, num caso que lhe valerá a perda da Volta a Portugal e uma suspensão que pode ir até aos dois anos, caso não colabore com as autoridades desportivas para deslindar o caso. Nuno Ribeiro declara que só teve consciência da substância ingerida, por via injectável, quando recebeu o resultado positivo. “Sempre confiei que aquilo que me davam eram recuperantes”, assegura, lembrando que as vitaminas usadas pelos ciclistas são injectáveis.

Na extensa conversa com o jornalista Carlos Flórido, o corredor rejeita a tese de dopagem organizada, porque, diz, o médico receberia cada atleta individualmente, prescrevendo a cada um as substâncias adequadas à sua fisiologia e tendo em conta o calendário específico de cada corredor. Apesar de ter tomado CERA antes da Volta, o natural de Sobrado não acredita que a vitória na corrida tenha surgido por causa do doping. “Ganhei porque fui mais forte, competi de igual para igual. O doping não me fez ganhar. Pelo contrário, tirou-me a vitória. Este ano estava bem, apostado em chegar ao primeiro lugar, e se o consegui não foi devido ao doping. Foi por ter hábitos de treino e trabalho muito rigorosos, prescindindo dos pequenos prazeres da vida, levando seriamente o treino e a competição”.

Nuno Ribeiro diz que o seu maior erro foi ter confiado cegamente no médico e promete engrossar as fileiras dos que lutam contra o doping, oferecendo-se para ir a escolas de ciclismo contar o seu caso e explicar os malefícios da dopagem.

9 comentários a “Nuno Ribeiro diz que não sabia o que tomava e responsabiliza o médico”

  1. LOL, não sabia o que tomava! Agora já se sabe o porquê de uma carreira tão curta em Espanha! a terra dos CERA positivos!!!! LOLLL

  2. não quero ser injusto mas, quem acusa é porque tomou e quem tomou tem que se responsabilizar. Por outro lado lembremo-nos daqueles que por cá andam, nunca acusaram e, até ganham…

  3. “Ganhei porque fui mais forte, competi de igual para igual. O doping não me fez ganhar. ” !!!!!!!!!!!!
    então está a dizer que todos estão em igualdade ( ou seja todos se dopam )

  4. Não percebo muito de treinos mas acho que qualquer pessoa normal depois de treino intensivo precisa de recuperantes.Aí está mais uma prova que quem deixa aqui comentários apenas quer criticar os desportistas,sem se preocupar com tudo o que isto acarreta.Só é pena que tenha de ser assim.Força Nuno,isto não acaba aqui!

  5. Não estou a compreender…!!?? O positivo não foi antes da Volta começar? Para que precisaria ele de recuperantes?

  6. Vamos lá ver no que vai dar isto é muito mau para todos não só para o Nuno ou para a liberty, mas para todos os que gostam de ciclismo.

Os comentários estão fechados.